Não venha me ditar regras

13:44

Sabe aqueles anseios que temos antes de irmos a um encontro? Pois é, ela estava assim naquela manhã chuvosa de domingo. 15 dias atrás o Rick havia a encontrado no meio da rua e a abordou querendo seu número. Ele era um completo desconhecido e um verdadeiro babaca. Ela sem pensar muito disse que ele a estava incomodado, mas o fechar dos olhos enquanto sorria acabou ganhando aqueles oito números que eram apenas dos seus amigos mais íntimos.

E quem diria que agora, depois de exatamente 15 dias, ela estaria prestes a se encontrar com ele e já estava planejando como seria o primeiro beijo enquanto pensava no que suas amigas iriam dizer sobre aquela situação: tem que ser difícil, faz pouco tempo, tem que enrolar mais, é proibido fazer tal coisa no primeiro encontro, tem que se comportar direitinho, a roupa não pode ser curta. Na verdade ela estava pouco se importando para aquelas cagações de regras e queria mais era saber o gosto do beijo que ele tinha, como era o relevo do seu corpo e a maciez do banco daquele carro.

Ela estava sentindo calafrios na barriga, mais conhecido como borboletas no estomago, aquilo a estava irritando e enquanto tentava se embrulhar para se livrar do frio daquela manhã, empurrando discretamente a bagunça que estava em cima da cama, ela pensou que dessa vez iria fazer diferente, não iria menti para se enquadrar em nada, não iria se comportar para ser aceita, não iria ser frágil para ser protegida, iria apenas ser ela e se diverti. Livre de regras idiotas feitas por pessoas preconceituosas.

O telefone toca, ela sai da cama e atende na primeira chamada, sinceramente ela não tem paciência para fazer aqueles joguinhos de atender depois que o telefone tocar pela terceira vez. Era o Rick perguntando se estava tudo certo para aquela noite. Ela sentiu vontade de falar que tudo estava estranho, que era a primeira vez que não estava se importando com o que ele iria pensar das atitudes dela, que ela não estava treinando na frente do espelho seus melhores ângulos, nem estava procurando a roupa que ela iria usar e que já estava com o discurso pronto para dispensá-lo quando ele ligasse no dia seguinte. Mas ela se conteve e apenas respondeu que sim, estava tudo certo.

E assim ela fez, vestiu o primeiro vestido preto que encontrou, amarrou uma blusa jeans na cintura ~ porque assim ela se sentia mais confortável ~ escolheu aquele batom vermelho que comprou na farmácia da esquina por R$5,00 reais. Não. Ela não iria usar o batom mais caro para ser tirado logo em seguida. Passou o batom de qualquer jeito em sua boca mesmo sabendo que ela voltaria para casa totalmente borrada. Nem ligou. Se olhou no espelho e decidiu que naquela noite não iria nenhum plano traçar e que não iria se atrasar.

Às sete em ponto o carro chegou e ela se foi, despida de ingenuidade e descoberta de pudor.

You Might Also Like

8 comentários

  1. Respostas
    1. Bih, a continuação fica por conta da sua imaginação, haha.

      Excluir
  2. Acho que me li, um pouquinho, nela. O que é ótimo! A gente não pode deixar de fazer o que quer, quando quer, e agir da maneira que seja melhor para nós. Espero que ela faça assim, como fez até ai, e não se arrependa. Mas se for pra se arrepender, que seja do que tiver sido feito.
    Curti bastante teu conto.

    http://www.novaperspectiva.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é ótimo Gabi. Uma das piores coisas é se arrepender daquilo que não foi feito, ela prefere se arrepender daquilo que ela fez por impulso. Aliás, atitudes por impulso nos rende boas histórias.

      Obrigada Gabi.

      Excluir
  3. Sobre a foto : Linda menina bordada de flor
    Sobre o texto: Lindo! você sempre coloca muito de você nele , o último parágrafo até parece auto-retrato.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre você me cobrar por mais textos: Obrigada <3 .

      E sim, eu coloco muito de mim nos meus textos. É inevitável. E eu acho engraçado em como você me conhece tão bem, haha.

      Beijos.

      Excluir
  4. Não to nem acreditando na coincidência enorme que foi ter lido esse texto justo hoje!
    Vou te contar porque: eu conheci um menino dos sonhos e tenho conversado muito com ele por mensagens, mas sempre tomando cuidado pra seguir essas regrinhas chatas. E já tava cansada disso porque ele me tratava com muito amor, e eu me segurava pra "parecer difícil", e ele como um rapaz inteligente sempre dizia que sabia que eu estava só fazendo charme pra mantê-lo interessado, o que é a pura verdade. Ontem a gente saiu pela primeira vez e eu me senti exatamente como você descreve no texto, e em pouco mais de meia hora ao lado dele percebi o quanto estava sendo tola por seguir regras ao invés de aproveitar o menino maravilhoso que esta ao meu lado. E é o que estou fazendo agora, dane-se a regra e estamos muito mais felizes assim!

    http://dizaimarina.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NOSSAAA, QUE MASSA. Hahaha.

      É muito bom quando sei que mexo com as pessoas através da escrita e justo com você que estava passando por uma situação parecida. E ó, nada de ficar dando ouvido para regrinhas chatas que a sociedade impõe na gente. Se está afim: Vai em frente. Se quer usar tal roupa: Use. Se quer beijar: Beije.

      E se diverte e aproveita. Depois me conta o que desenrolou dessa história. #curiosa. Hahaha.

      Beijos.

      Excluir

Popular Posts

Instagram

Inspiração do Dia

Inspiração do Dia